Translate

terça-feira, 22 de novembro de 2011

CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO

SEGUE ABAIXO MEU ARTIGO PUBLICADO NO JORNAL DIÁRIO DO NORDESTE NO DIA 11/11/11 NA COLUNA OPINIÃO.

No próximo dia 13 de novembro, acontecerá no município de Senador Pompeu, localizado a 280 km da capital, a 29ª Caminhada da Seca, ideia do vigário Albino Donatti ainda no ano de 1982. O intuito da caminhada é lembrar as pessoas que morreram na seca do ano de 1932, acontecimento histórico pouco lembrando nos livros de história, mas vivo na cultura popular do povo cearense. Quando escutamos o assunto “campos de concentração” remontamos ao período da 2ª Guerra Mundial e imaginamos o holocausto idealizado por Hitler e seu partido Nazista. Não imaginamos que este fato ocorreu no Brasil, mais especificamente no nordeste e que ocorreu principalmente antes da criação dos campos nazistas. No ano de 1932, depois de minguadas chuvas no ano anterior, o retirante não tem alternativa senão migrar para a capital. Nesse período, Getúlio Vargas comandava nosso país. Após a revolução de 1930, e promovendo mudanças nas oligarquias regionais, Vargas nomeou como interventor do Ceará o capitão Carneiro de Mendonça. Relatórios provinciais da época informam que a situação estava controlada e a aplicação de vacinas foi executada com êxito. No entanto, a situação visualizada e vivida pelo nordestino não condizia com a realidade. Isso pode ser observado no seguinte aspecto: registros mostram que durante as secas 1877-78, 1888, 1915 e 1932 foram inauguradas 84 ruas, sendo o maior número no ano de 1932. Demonstra-se desta maneira como eram usadas as verbas e a utilidade do flagelado como mão de obra. Confirmando a frase do escritor Euclides da Cunha: “o sertanejo é antes de tudo, um forte”, Após as primeiras chuvas no ano de 1933, os administradores dos campos começaram a libertar os flagelados, mas a tragédia ficou marcada com um número próximo de noventa mil mortos. Hoje, vemos que esse “costume” de desviar o dinheiro público é uma herança do passado. O que deveria servir de exemplo para evitar novos acontecimentos nocivos é usado como aula para novos projetos. Enquanto a seca existia para alguns, para outros não passou de um bom inverno

Um comentário: